segunda-feira, 6 de abril de 2009

CENSURA


O delegado da Polícia Civil do Rio Vinicius George - que assessora o deputado Marcelo Freixo (PSOL) e teve atuação importante na CPI das Milícias - denunciou a censura imposta pela Polícia Militar do Rio, que impediu a participação de blogueiros policiais na mesa redonda "O papel dos blogs no debate da Segurança Pública e a Nova Blogosfera policial". O evento foi realizado no Terceiro encontro anual do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, do qual sou um dos 62 membros. Participei da mesa coordenada pela cientista social Silvia Ramos, do Cesec, com o jornalista Eduardo Machado, criador do blog PE Body Count e os policiais militares Danillo Ferreira, autor do blog Abordagem Policial, e Robson Niedson, criador do Blog do Stive, respectivamente da PM da Bahia e de Goiás.
Os policiais militares Wanderby e Alexandre de Souza (
Diário de um PM), da PM do Rio, não conseguiram autorização com seus superiores para participar do evento, que encontro do Fórum, que reuniu mais de 1.500 pessoas em Vitória (ES), entre as quais o ministro da Justiça, Tarso Genro; o secretário Nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri (que deu uma entrevista exclusiva ao blog), entre pesquisadores, policiais e comandantes da PM. Só não vi ninguém da PM do Rio por lá. Imagino que a PM do Rio acha que só porque é a mais antiga não precisa aprender mais nada com ninguém.
Assim como eu fiz no início de minha palestra, o delegado Vinicius George também criticou o comando da PM por impedir que seus policiais falem publcamente dos blogs: "É um tiro no pé", disse Vinicius, prometendo que vai fazer barulho contra mais esse ato de arbitrariedade na PM do Rio. Dessa vez não posso afirmar se o comando-geral tem conhecimento disso, mas obviamente que os superiores dos blogueiros não os liberaram por temer alguma represália vindo do andar de cima.


Colaboração: Jorge Antonio Barros

2 comentários:

  1. AUXÍLIO-MORADIA NA PM
    Documento apócrifo exige exoneração de três oficiais da corporação.

    Um grupo de policiais militares distribuiu o panfleto acima na madrugada da última sexta-feira na Cinelândia, em frente à Câmara de Vereadores do Rio. O documento, intitulado "Corrupção na PMERJ", exige a imedita exoneração de três oficiais - entre eles o chefe do Estado-Maior da PM, coronel Antônio Carlos Suarez Davi - que teriam recebido irregularmente o benefício do auxílio-moradia. Os três oficiais teriam embolsado o benefício, no valor de R$ 943 mensais, mesmo morando em imóveis de propriedade da Polícia Militar ou do governo do estado. O documento , apócrifo, termina com um desabafo: "Não temos nada para comemorar nos 200 anos da PMERJ".

    http://extra.globo.com/geral/casodepolicia/posts/2009/04/07/documento-apocrifo-exige-exoneracao-de-tres-oficiais-da-corporacao-175188.asp

    ResponderExcluir
  2. rosa_taynaira@yahoo,com,br7 de abril de 2009 16:11

    sou esposa de um policial ,e sonho com o dia em que o policial terá o direito de lutar pelos seus ideais,no estado do RJ a PEMRJ não tem valor para nosso governador ,peço a todos em nome de uma mãe de familia ,esposa de um policial onesto que vive do umilde salario que recebe ,que me ajudem ,vamos nos unir e lutar juntos ,nossos maridos filhos não tem o direito de lutar , mas nos podemos e devermos ,em nome dos que estão na luta defendendo esta sociedade ipocrita que não os dar nenhum valor , mas nos esposas e familiares temos que dar e lutar por eles, a união faz a força , peço a todos em nome de uma mulher que sonha com um amanhã melhor para nossa PMERJ

    ResponderExcluir